ROTAS

Tropeçávamos em distraídos astros vagabundos
Vagabundeando em distintos aromas primaveris
Tampando os olhos, a boca, os ouvidos.
Para não enxergar, falar ou ouvir o colidir de seus passos tímidos.
Em tímidas formas de emergir seus dias
Seus dias que colidiram em energéticas bombas de nêutron
Em meus passos mais absortos no passado, remoto-controle.

Plantávamos em escondidas covas o amor e a timidez
Em palavras rasgadas de sentimentos doces e carinho
Escondíamos nossas carências e faltas de fé
Em segundos, que distraídos, nossos olhos olhavam o breu
A fenda aberta em chão de paisagem aos nossos pés
Dias que, sozinho, seguiam por milênios sem paz

Eu te via de frente, seguia seus passos sem determinação
Vales, vulgares, de um escoteiro em remotas aventuras.
Sonhando em dias mais felizes, em felizes formas de viver.

Anúncios

3 Responses to “ROTAS”


  1. 1 Jairo dezembro 21, 2006 às 1:42 pm

    Estes nossos caminhos colidem e deixam cicatrizes, fundas como covas rasas…

  2. 2 Thaís dezembro 22, 2006 às 12:53 pm

    Bom, apesar de afastada de suas poesias, elas continuam brilhantes como sempre, lindas!!!
    Um beijo.

  3. 3 paula janeiro 23, 2007 às 5:08 am

    Adorei e tomei a liberdade de usar no meu álbum do orkut, vc é demais…apesar de não te conhecer


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




dezembro 2006
S T Q Q S S D
    jan »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
25262728293031

Categorias

Acesso número:

  • 124,523 Páginas vistas.

%d blogueiros gostam disto: