AI! SEUS OLHOS.

Caminhei por ruas, desertas.
Desertos caminhos, caminho!
Sob mil sóis. Desejei mil luas.
Eterno brilho reluzente, azul.
Dançando, faixas de luzes refletidas no mar.
Anoiteceu!
Noites e dias que passam ao acaso.
Céu!Esperei tempo! Tempo! Tempo!
Angelicalmente, seu toque em minha cabeça,
Breve tremor no corpo.
Brilhou! O amanhã! Nasci.
Esperei! Tempo! Preciso! Eterno.
Raiou! O Sol!
O céu azul se fez.
Sua rua, ai! Se fosse minha rua.
Seus olhos, ai! Se olhassem para mim.
Dourados fios da verdade! Amor!
Se fosse corajoso! Se fosse aventureiro!
Se fosse valioso! Se fosse verdadeiro!
Ai! Se tocasse sua face. Se seu aroma perfumasse o ambiente.
Ai! Traduzir-te é imprimir o futuro.
Se, e somente se, cegar todos os satélites. É transmutar.
É reinventar a gramática.
É duvidar da vida, e em um segundo depois amá-la incondicionalmente.
Tatear suas palavras é realimentar a alma.
É infindo movimento do mar e lua.
É desdobrar-se a alma em mil, e amar-te mil vezes.
É desprender-se da matéria inerte, dando-te vida.
É caminhar em campos cobertos de girassóis.
É multiplicar os pães. Reinventar a metafísica,
A religião, a cultura. Redescobrir o homem.
Ai! se seus olhos pudessem ver o que vejo em ti.
Guerras feitas em suas palavras, paz fariam.
Ai! Se somente fosse, no mundo, você e eu, e o universo a descobrir.
Eternamente buscaríamos o novo mistério. Você e eu.
E o correr da eternidade a embalar nosso amar.

Anúncios

2 Responses to “AI! SEUS OLHOS.”


  1. 1 marina março 1, 2007 às 2:59 am

    “Ninguém pode te fazer infeliz sem o teu consentimento”.
    “Existir é isso: beber-se a si próprio, sem sede”.
    Vá tua vida… teu caminho é de paz e amor, felicidades.

  2. 2 marina março 18, 2007 às 2:45 am

    A tua presença é qualquer coisa
    como a luz e a vida
    E eu sinto que em meu gesto existe
    o teu gesto e em minha voz a tua voz
    Não te quero ter porque em meu ser
    tudo estaria terminado
    Quero só que surjas em mim como
    a fé nos desesperados
    Para que eu possa levar uma gota
    de orvalho nesta terra amaldiçoada
    Que ficou sobre a minha carne
    como nódoa do passado
    Eu deixarei…tu irás e encontrarás
    a tua face em outra face.
    Teus dedos enlaçarão outros dedos
    e tu desabrocharás para a madrugada
    Mas eu te possuirei como ninguém
    porque poderei partir.
    E todas as lamentações do mar, do vento, do céu,
    das aves, das estrelas,
    serão a tua voz presente,
    a tua voz ausente,
    a tua voz serenizada.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




janeiro 2007
S T Q Q S S D
« dez   fev »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

Categorias

Acesso número:

  • 124,228 Páginas vistas.

%d blogueiros gostam disto: