Arquivo para junho \02\UTC 2007

40 anos do Sgt. Pimenta e a banda dos Corações Solitários

Capa do  Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band  (1967)1967. A Guerra do Vietnã estava longe do fim, Gabriel Garcia Márquez lançava “Cem anos de solidão”. Um mundo colorido de LSD ecoava na mente da geração Flower Power. Che Guevara fora assassinado na Bolívia. Enquanto isso, Ronald Reagan era eleito governador da Califórnia. O homem ainda não tinha chegado à Lua. URSS X EUA. Ideologias discutidas nas esquinas. No Brasil, tempo de censura pré AI-5, Glauber Rocha estreava Terra em Transe. Plínio Marcos lançava o “Navalha na Carne”. O Rei da Vela, peça até então inédita do Oswald de Andrade, estreava no Teatro Oficina (reinaugurado após incêndio em 1966). O Bandido da Luz Vermelha estava preso.

1967. 1 de Junho. Chega às lojas o álbum “Sgt. Pepper’s lonely hearts club band”. O maior da historia da música pop. Um marco na história da música. Influência das influências… Qualquer superlativo é pequeno perto do tamanho de álbum. Foram necessárias 700 horas em estúdio para elaborar as 13 faixas que compõem uma estrutura única. Um dos primeiros álbuns conceituais da história. Considerado por muitos o início do Rock Progressivo. 13 maravilhas lapidadas pelo quarteto fantástico e George Martin. 39 minutos e 43 segundos misturando música pop e erudita em um brilho de perfeita harmonia e melodia.

O oitavo disco dos Beatles, o terceiro da segunda fase (iniciada em 1965, com Rubber Soul) Particularmente a fase que mais gosto. “Sgt. Pepper’s lonely hearts club band” levou a aposentadoria prematura (devidamente retomada) da carreira de Brian Wilson (Beach Boys). O álbum surgiu como resposta do “Pet Sounds”, dos Beach Boys, que surgiu em resposta ao “Rubber Soul”, dos Beatles. A resposta de Sgt. Pepper´s viria com o projeto inacabado “Smile”, lançado (finalmente) em 2004.

40 anos depois, o álbum ainda é referência entre os fãs e músicos. Os impactos gerados após o lançamento do disco podem ser analisados nos quatro cantos do mundo. Em 1968, o pequeno príncipe, Ronnie Von, lança seu “álbum psicodélico”. A inspiração invade desde a Tropicália até o Clube da Esquina. Músicos da Jovem Guarda, inspirados no ecos da Flower Power, lançam seus discos psicodélicos (Wanderléa, Erasmo Carlos, Roberto Carlos, Wanusa, Os Incíveis). O mundo fervia com os ouvidos presos nos pouco menos de 40 minutos do Sargento Pimenta.

Dois dias após lançado, Jimi Hendrix abriu um show tocando a faixa título do álbum. Joe Cocker consegui uma façanha, melhorar uma música dos Beatles. Frank Zappa (influenciador do Sgt. Pepper´s) se influencia no álbum para fazer uma critica à sociedade América. Em seguida, os Rolling Stones lançaram o seu clássico “Their Satanic Majesties Request”. No mesmo ano chegava às lojas o The Piper at the Gates of Dawn, do Pink Floyd. Muitos críticos afirmam a influência do Pink Floyd no som do Sgt. Pepper´s, que no período gravava no estúdio B da Abbey Road, enquanto os Beatles usavam o estúdio A. O mundo vivia um momento único de criatividade e rebeldia que fora esquecido no decorrer dos anos.

O quarentão do Sgt. Pepper´s mostra que o som dos Beatles continua atual. As técnicas inovadoras de gravação, os timbres e maluquices experimentadas no estúdio, além das doses de LSD, ideologias, gurus espirituais e criatividade absurda de composição, orquestração e arranjos fazem do álbum uma pequena pérola, que será revisitada e homenageada de geração a geração.

Para ouvir mais

Parte um
Parte dois
Parte três
Parte quatro
Parte cinco


junho 2007
S T Q Q S S D
« maio   jul »
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

Categorias

Acesso número:

  • 124,583 Páginas vistas.