Ao som do sim

Não me basta seu gosto impiedoso
Eu gosto do gosto do novo
do velho novo de novo

Não me basta o seu cheiro imposto
Gosto do aroma de carvalho
Eu quero o perfume do orvalho

Não me basta o seu sopro indecoroso
Quero o som do seu suspiro
ouvido tudo, aquilo

Não me basta a calor de suas palavras
Quero flores em seus cabelos
Flores tatuada em seu corpo inteiro

Não me basta seu charme à queima roupa
Tampouco a paz roubada dos seus gestos distraídos
Quero ver-te voar por aí

Não me basta o seu olhar indeciso
Vasta gloria, agora jaz
Existe distância e não existe paz

Anúncios

2 Responses to “Ao som do sim”


  1. 1 Cammy março 10, 2008 às 5:21 pm

    nossa, lindo o que vc escreveu. menino c ainda vai longe com esses seus poemas.

  2. 2 welington de sousa março 14, 2008 às 6:25 pm

    Belissimo blog ! belo poema !!!!
    parabéns !!!!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




março 2008
S T Q Q S S D
« fev   abr »
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

Categorias

Acesso número:

  • 124,226 Páginas vistas.

%d blogueiros gostam disto: