Versos sujos perdidos

Não basta o seu gesto impiedoso
A soar como antigo cântico
De novo, o velho gosto do novo

Não basta seu jeito imposto
Seu corpo a exalar o aroma de carvalho
O leve torpor agridoce do orvalho

Não basta seu sopro indecoroso
Mordido ao breve tremor de um suspiro
A remeter a dor de um instante perdido

Não mais basta seu olhar indeciso
Vasta glória, agora, jaz
Existe distância, mas não há paz

Anúncios

0 Responses to “Versos sujos perdidos”



  1. Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




junho 2011
S T Q Q S S D
« mar   jul »
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
27282930  

Categorias

Acesso número:

  • 124,226 Páginas vistas.

%d blogueiros gostam disto: